Perguntas Frequentes

1. O que é o Ensino Waldorf?

Desenvolvido por Rudolf Steiner em 1919, o ensino Waldorf baseia-se numa abordagem que trata das necessidades e do desenvolvimento da criança em crescimento e do adolescente na fase de amadurecimento. Os professores Waldorf empenham-se em transformar o ensino em uma arte que eduque a criança como um todo e promovendo o fazer, o sentir e o pensar.

2. As escolas Waldorf são religiosas ?

As escolas Waldorf n?o s?o sect?rias e n?o se denominam religiosas. Elas educam todas as crian?as, n?o importando seus contextos culturais ou religiosos. O m?todo pedag?gico ? amplo e, como parte de sua tarefa, procura promover o reconhecimento e a compreens?o de todas as culturas e religi?es do mundo. As escolas Waldorf n?o fazem parte de nenhuma igreja. N?o est?o ligadas a nenhuma doutrina religiosa em particular, mas baseia-se na cren?a de que h? uma dimens?o espiritual para o ser humano e para tudo na vida. As fam?lias de alunos Waldorf s?o oriundas de uma ampla gama de tradi??es e interesses religiosos.

3. Como é o currículo numa escola Waldorf?

O ensino Waldorf aborda todos os aspectos legais da educação escolar de forma única e ampla. O currículo é planejado para atender às diversas etapas do desenvolvimento da criança. Os professores Waldorf se dedicam a criar um entusiasmo interior genuíno pela aprendizagem, o que é essencial para o sucesso educacional.
As crianças do maternal e do jardim-de-infância aprendem principalmente por meio da imitação e da imaginação.

O objetivo do jardim é desenvolver na criança pequena um senso de admiração e reverência por todas as coisas da natureza e nas relações humanas.

Isto cria um anseio pelos assuntos acadêmicos que virão a seguir, nos cursos de grau.

As atividades do jardim-de-infância incluem:

Ouvir histórias, lidar com marionetes, brincar criativamente.

Canto, euritmia (movimento).

Jogos e brincadeiras com dedos.

Pintura, desenho e modelagem em cera de abelha.

Ajudar a assar e cozinhar, passeios na natureza.

Língua estrangeira nas rodas rítmicas e nas celebrações das festas e estações do ano.

As crianças do ensino fundamental aprendem através da orientação de um professor de classe que permanece idealmente com a mesma turma por oito anos.

O currículo inclui:

Inglês baseado em literatura, mitos e lendas universais.

História cronológica, incluindo as grandes civilizações do mundo e geografia.

Ciência que pesquisa geografia, astronomia, meteorologia, ciências físicas e biológicas.

Matemática que desenvolve competência em aritmética, álgebra e geometria.

Línguas estrangeiras; educação física; jardinagem.

Artes, incluindo música, pintura, escultura, teatro, euritmia, desenho.

Trabalhos manuais como tricô, costura, crochê, tecelagem, trabalhos em madeira.

O ensino médio Waldorf dedica-se a ajudar os estudantes a desenvolver todo o seu potencial como bolsistas, artistas, atletas e membros da comunidade.

O curso inclui:

Um currículo de humanidades que integra História, Geografia, Literatura e conhecimento de culturas universais.

Um currículo de ciências que inclui física, biologia, química, geologia e um programa de matemática de quatro anos que prepara para a faculdade.

Um programa de artes e ofícios que inclui caligrafia, desenho, pintura, escultura, cerâmica, tecelagem, impressão manual, encadernação.


Um programa de artes dramáticas e musicais que oferece orquestra, coro, euritmia e drama.

Um programa de línguas estrangeiras.

Um programa de educação física.

As crianças do maternal e do jardim-de-infância aprendem principalmente por meio da imitação e da imaginação. O objetivo do jardim é desenvolver na criança pequena um senso de admiração e reverência por todas as coisas da natureza e nas relações humanas. Isto cria um anseio pelos assuntos acadêmicos que virão a seguir, nos cursos de grau.

As atividades do jardim-de-infância incluem:

Ouvir histórias, lidar com marionetes, brincar criativamente.

Canto, euritmia (movimento).

Jogos e brincadeiras com dedos.

Pintura, desenho e modelagem em cera de abelha.

Ajudar a assar e cozinhar, passeios na natureza.

 

4. O ensino Waldorf prepara as crianças para o mundo real ? De que forma?

Certamente nós somos influenciados por aquilo que o mundo nos apresenta, mas o fato é que o mundo é configurado pelas pessoas, e não as pessoas pelo mundo. Porém essa configuração do mundo só é possível ocorrer de uma forma saudável quando as pessoas estão de posse de sua natureza total como seres humanos.

O ensino, em nossa sociedade materialista, enfoca o aspecto intelectual do ser humano e não valoriza outros essenciais para o nosso bom desenvolvimento, e que são:

nossa vida dos sentimentos (emoções, estética e sensibilidade social), nossa força de vontade (a habilidade para fazer as coisas) e nossa natureza moral (ser transparente a respeito do correto e do incorreto).

Nós somos incompletos sem a visão do desenvolvimento integral do ser humano.

Para isso, numa escola Waldorf os assuntos práticos e artísticos desempenham um papel tão importante quanto a gama total de assuntos acadêmicos tradicionais que a escola oferece.

O prático e o artístico são essenciais no preparo para a vida no mundo ‘real’.

O Ensino Waldorf reconhece e respeita a extensão total das potencialidades humanas.

Trata a criança como um todo, empenhando-se em despertar e enaltecer todas as capacidades latentes.

As crianças aprendem a ler, escrever e fazer contas; estudam História, Geografia e Ciências.

Além disso, todas as crianças aprendem a cantar, tocar um instrumento musical, desenhar, pintar, modelar argila, esculpir e trabalhar com madeira, falar claramente e atuar numa peça teatral, pensar independentemente e trabalhar de forma harmoniosa e respeitosa com outras pessoas.

O desenvolvimento destas diversas capacidades é inter-relacionado.

Por exemplo, tanto os meninos quanto as meninas aprendem a tricotar no primeiro ano.

A aquisição desta habilidade básica e prazerosa os ajuda a desenvolver uma destreza manual que, após a puberdade, será transformada numa habilidade para pensar claramente e ‘tricotar’ seus pensamentos num todo coerente.

O Ensino Waldorf tem como ideal uma pessoa educada de modo a estar informada sobre o mundo e sobre a história e a cultura humanas; a ter muitas habilidades práticas e artísticas, a sentir uma reverência profunda pelo mundo natural e uma comunhão com ele, e a poder agir com iniciativa e em liberdade perante as pressões econômicas e políticas.

Há muitos alunos de todas as idades, formados em escolas Waldorf, que personificam esse ideal e que talvez sejam a melhorprova da eficácia desse ensino.

A preparação para a vida inclui o desenvolvimento de pessoas com múltiplos atributos, e que se completem mediante suas relações    com o mundo todo.

5. Por que as escolas Waldorf ensinam a ler tão tarde?

Cada criança é um indivíduo diferente, e os pais de vários filhos certamente percebem isso.

Devemos respeitar o caminho de cada uma, valorizando as capacidades individuais.

É possível constatar que crianças saudáveis que aprendem a ler mais tarde não são prejudicadas por isso – ao contrário:

são capazes de alcançar rapidamente as que aprenderam a ler mais cedo.

Respeitando-se a velocidade de cada uma, elas não irão desenvolver o ‘cansaço em decorrência da leitura e do aprendizado’, que muitas crianças alfabetizadas muito cedo experimentam mais tarde.

Algumas crianças irão querer aprender a ler cedo por si próprias; esse interesse poderá ser atendido desde que originado realmente na criança, e não estimulado pelos adultos.

Alguns pais ficam ansiosos ao perceber que seus filhos estão lentos na aprendizagem.

Toda criança tem seu momento certo para ‘decolar’.

Muitas vezes a ansiedade dos pais é assimilada pela criança.

É importante que os pais saibam lidar com suas próprias apreensões e com as de seus filhos.

O crescimento e o desenvolvimento humano não ocorrem de uma forma linear, e nem podem ser medidos.

O que vive, cresce e existe na vida humana só pode ser entendido com a mesma faculdade humana capaz de entender as leis metamórficas invisíveis da natureza viva.

6. A criança ficaria em desvantagem se fosse transferida de outra escola para uma escola Waldorf ou de uma escola Waldorf para outra escola?

As crianças de outra escola, ao serem transferidas para uma escola Waldorf, estarão num nível desejável com relação à leitura, à matemática e às habilidades acadêmicas básicas.

De forma geral, porém, terão muito a aprender em termos de capacidade de coordenação corporal, postura, atividades artísticas e sociais, caligrafia cursiva e capacidade de ouvir.

Ouvir bem é particularmente importante, uma vez que a maior parte do conteúdo curricular é apresentada oralmente na classe pelo professor, e é uma qualidade cada vez mais difícil de se encontrar nas pessoas hoje em dia.

A relação humana entre a criança e o professor é a base para uma aprendizagem saudável, para a aquisição de entendimento e conhecimento, e não só de informação.

As crianças que estão acostumadas a aprender em computadores e outros meios eletrônicos terão de adaptar-se e, principalmente, desenvolver a capacidade de ouvir e perceber o próximo.

Normalmente, as crianças que ingressam numa escola Waldorf trazem muitas informações sobre o mundo.

Essa contribuição deve ser reconhecida e recebida com interesse pela classe.

Porém, muitas vezes essas crianças têm de ‘desaprender’ alguns hábitos sociais como, por exemplo, a tendência a considerar a aprendizagem como uma atividade competitiva.

Elas têm de aprender a abordar as artes de uma forma mais objetiva, e não só como um meio de expressão pessoal.

Em contrapartida, ao estudar a natureza, a História e o mundo, elas precisam relacionar com sua própria vida e existência o que aprendem.

Quando as crianças se envolvem com o que  aprendem sobre o mundo, este se torna verdadeiramente significativo para elas.

As crianças que são transferidas de uma escola Waldorf para outra escola durante as primeiras séries terão, provavelmente, de melhorar a habilidade na leitura e abordar as lições de ciências de modo diferente.

A ciência, numa escola Waldorf, enfatiza a observação de fenômenos naturais, em vez da formulação de conceitos e leis abstratas.

Por outro lado, os alunos transferidos de uma escola Waldorf estão normalmente bem preparados quanto a estudos sociais, atividades práticas e artísticas e raciocínio matemático.

Os jovens que saem de uma escola Waldorf durante o ensino médio    provavelmente levarão para a nova escola uma força individual distinta,    bem como uma confiança pessoal e um apreço pela aprendizagem e pelas relações humanas.

7. Por que as escolas Waldorf recomendam limitar o tempo de televisão, vídeos e rádio para as crianças e jovens ?

Um objetivo central do Ensino Waldorf é estimular o desenvolvimento saudável da imaginação e da criatividade em seus alunos.

A preocupação dos professores Waldorf é a de que a mídia eletrônica impeça o desenvolvimento da imaginação da criança.

Eles estão preocupados tanto com os efeitos físicos da mídia na criança em desenvolvimento quanto com o conteúdo de grande parte da programação.

Há cada vez mais pesquisas para fundamentar estas preocupações.

Nesse sentido, indicamos como leituras: Mídia e violência, de Heinz Buddemeier (Ed. Antroposófica – http://www.antroposofica.com.br);

Computadores e TV, de Valdemar Setzer; Endangered minds: why our children don’t think (Mentes em perigo: por que nossas crianças não pensam) e Failure to connect: how computers affect our children’s minds for better and worse (Fracasso em conectar: como os computadores afetam a mente de nossas crianças para o melhor e o pior), de Jane Healy; Four arguments for the elimination of television (Quatro argumentos para eliminação da televisão),de Jerry Mander; The plug-in drug (A droga plugada), de Marie Winn; e Evolution’s end: claiming the potential of our intelligence (O fim da evolução: reivindicando o potencial de nossa inteligência) de Joseph Chilton Pearce.

8. E a relaçao entre computadores e o Ensino Waldorf?

Os professores Waldorf consideram que a época adequada para o uso de computadores pelos estudantes na sala de aula é durante o ensino médio.

Pondera-se que é mais importante para os estudantes ter a oportunidade de interagir entre si e com os professores, na exploração do mundo das ideias, participando do processo criativo e desenvolvendo conhecimento, capacidades, habilidades e qualidades interiores.

Os estudantes Waldorf têm amor pela aprendizagem, uma curiosidade contínua e interesse pela vida.

Quando mais velhos, eles rapidamente dominam a tecnologia da computação; e os alunos formados conseguem empreender carreiras bem-sucedidas na indústria de computadores.

Para mais leituras, consulte Fool’s gold (Ouro de tolo), no site da Aliança Pela Infância em inglês – http://www.allianceforchildhood.org – e outros artigos no site brasileiro: http://www.aliancapelainfancia.org.br.

9. Como os estudantes Waldorf se desempenham após a formatura?

Alunos Waldorf têm sido aceitos e diplomados por uma grande diversidade de boas faculdades e universidades no Brasil (vide pesquisa sobre ex-alunos Waldorf neste mesmo site).

Ex-alunos Waldorf têm-se destacado numa ampla variedade de profissões e ocupações, como medicina, advocacia, ciências, engenharia, tecnologia da computação, artes, ciências sociais, política e magistério em todos os níveis.

As escolas Waldorf de ensino médio podem fornecer dados específicos sobre afiliações em    universidades, profissões e realizações de seus graduados.

10. O que é Euritmia?

Euritmia é a arte do movimento que procura tornar visível a música e a fala. Ajuda a desenvolver a concentração, a autodisciplina e o sentido da beleza.

As aulas de Euritmia são um treinamento para o aluno se mover de forma artística tanto individualmente quanto em grupo, estimulando a sensibilidade em relação ao outro e o domínio individual.

As aulas de Euritmia seguem os temas do currículo, explorando rima, métrica, histórias e formas geométricas.

11. Se é ideal que o professor de classe Waldorf conduza o mesmo grupo de crianças durante os oito anos do ensino fundamental, o que fazer se meu filho não se entender bem com o professor?

Esta pergunta sempre surge devido à experiência dos pais com o demais tipos de ensino. Na maioria das escolas, o professor trabalha com uma turma durante um ou, talvez, dois anos.

É difícil para ele, e também para o aluno, desenvolver uma relação humana profunda (que é a base para uma aprendizagem saudável) caso a mudança seja frequente.

Quando o professor permanece com a mesma turma durante vários anos, ele e as crianças passam a conhecer-se e entender-se mutuamente em profundidade.

As crianças se tornam mais capacitadas a aprender, sentindo-se seguras num relacionamento duradouro.

A interação entre o professor e os pais também pode tornar-se mais profunda e significativa com o tempo, sendo que eles podem e devem trabalhar juntos para apoiar a criança.

Problemas entre professores e alunos, e entre professores e pais, realmente surgem. Quando isto acontece, o colégio de professores estuda a situação, envolve o professor e os pais e, se for apropriado, também o aluno, e tentam resolver o conflito. Se as diferenças forem irreconciliáveis, os pais e o grupo de professores deverão chegar a uma solução.

Medidas mais drásticas, como a retirada do aluno da escola, são raramente necessárias.

Uma classe de alunos Waldorf se assemelha a uma família.

Quando numa família os adultos têm problemas com suas crianças, devem observar a situação e ponderar o que fazer para melhorar a relação.

Em outras palavras, os adultos devem assumir a responsabilidade. Esta mesma abordagem é esperada do professor Waldorf numa situação difícil.

Em quase todos os casos, ele deve perguntar-se: “Como eu posso mudar, para que o relacionamento se torne mais positivo?” A experiência nos mostra que, com a boa vontade e o apoio ativo dos pais, o professor interessado pode fazer as mudanças necessárias e ter novamente um relacionamento saudável e produtivo.

Participar das transformações e do crescimento dos adultos faz parte do currículo Waldorf, e é o que as crianças e jovens anseiam ver em suas vidas para poderem acreditar num mundo melhor.

12. Como o professor de classe Waldorf pode ensinar todas as matérias durante os oito anos da educação fundamental?

O professor de classe não é o único professor com quem as crianças se relacionam. Todo dia, professores de matérias específicas dão às crianças aulas de euritmia, trabalhos manuais, língua estrangeira, música e assim por diante.

Porém, o professor de classe é responsável pela ‘aula principal’ de duas horas pela manhã e também, normalmente, por uma ou duas aulas na parte da tarde. Na aula principal ele ministra aos alunos todos os principais assuntos acadêmicos, incluindo arte da linguagem, ciências, história e matemática, bem como pintura, música, modelagem em argila, etc. O professor lida, de fato, com uma ampla variedade de matérias, e portanto a pergunta é válida.

Uma concepção errônea e comum em nosso tempo é a de que o ensino consiste meramente numa transferência de informações. Do ponto de vista Waldorf, o verdadeiro ensino envolve também o despertar de capacidades – a habilidade de pensar de forma clara e crítica, de vivenciar e entender os fenômenos universais de uma forma empática, de distinguir o que é bonito, bom e verdadeiro. O professor de classe trilha um caminho de descobertas com as crianças e as conduz a um entendimento do mundo de significados, e não só de um mundo de causas e efeitos.

Os professores de classe Waldorf trabalham arduamente para dominar o conteúdo das várias matérias que ensinam, e também pedem ajuda quando necessitam. Mas o sucesso fundamental do professor está em sua habilidade de trabalhar com as faculdades internas que ainda estão florescendo no aluno, de modo que estas possam crescer, desenvolver-se e desabrochar de uma forma equilibrada e saudável.

Mediante esta abordagem de ensino, as crianças serão verdadeiramente preparadas para o mundo real. Elas estarão munidas com as ferramentas para atuar produtivamente no mundo com seu espírito humano livre.   

13. Quais são os gastos com uma escola Waldorf ? Há uma assistência financeira disponível?

Os custos com a mensalidade e a matrícula variam de escola para escola, e são comparáveis aos de outras escolas particulares da mesma região geográfica, desde que não sejam subsidiadas por fundações ou igrejas. Muitas escolas Waldorf são independentes e mantidas pelas contribuições mensais das famílias.

Cada escola desenvolve suas próprias políticas de assistência financeira e determina o valor da bolsa de estudos que pode oferecer e a FEWB não regulamenta nem interfere neste serviço.

Para informações atualizadas sobre os custos, contatar diretamente os endereços que constam em nossa lista de Escolas Afiliadas, neste site.

14. Consultei a lista disponível neste site da FEWB e não encontrei uma escola em minha área. Há outras escolas?

Somente indicamos as escolas filiadas. Por terem cumprido as metas necessárias elas que são incluídas em nosso site.

15. Há escolas Waldorf para crianças com necessidades especiais?

Existem as escolas Travessia, Parsifal e Casa do Sol, na cidade de São Paulo.

Elas estão especialmente equipadas para crianças com necessidades especiais. Rudolf Steiner trabalhou em função de pessoas com necessidade especiais durante vários anos, inaugurando a denominada Educação Terapêutica (‘Pedagogia Curativa’), adotada nas escolas e comunidades de adultos baseadas na Antroposofia.

Para maiores informações e endereços, favor visitar o site da Federação de Pedagogia Curativa no Brasil: www.pedagogiacurativa.org.br.

 

16. Onde posso encontrar uma lista internacional de escolas Waldorf ?

Para uma lista das escolas Waldorf em todo o mundo, acesse, em nosso site, o link http://www.waldorfschule.info/frameset2.htm.

Bund der Freien Waldorfschulen’ (Alemanha). Ali é possível pesquisar por país. Outras listas e recursos podem ser encontrados, em nossa seção de links, no site da Sociedade Antroposofica no Brasil: http://www.sab.org.br.

17. Como iniciar uma escola Waldorf?

Os chamados ‘grupos de iniciativa’ (ou seja, de pessoas interessadas em iniciar uma escola) seguem padrões diferentes em sua evolução, mas em anos recentes se desenvolveu certa tendência que tem se mostrado útil e positiva para os grupos interessados.

As iniciativas geralmente começam com grupos de estudos pedagógico-antroposóficos para adultos, os quais, após alguns anos, iniciam um jardim-de-infância.

Após vários anos de experiência, os responsáveis podem sentir-se prontos para inaugurar o primeiro ano escolar, para ser dado este passo será obrigatório entrar em contato com a FEWB para obter mais informações.

Uma escola Waldorf não é somente uma alternativa entre outras escolas. Seu currículo e sua filosofia provêm da cosmovisão e das percepções acerca da natureza da criança propiciadas por Rudolf Steiner na Antroposofia. Se não houver em torno da escola uma comunidade ativa, que esteja totalmente familiarizada e comprometida com a filosofia e a pedagogia, é provável que a iniciativa não prospere.

As comunidades também descobriram que, embora pais entusiasmados sejam essenciais para ajudar a fundar uma escola, esse mesmo entusiasmo pode levar a fundar uma escola rápido demais. Da mesma maneira como as escolas Waldorf são organizações sem fins lucrativos, não sendo criadas para o benefício financeiro de qualquer indivíduo, sua fundação também deve conter um elemento de altruísmo, ao invés de pretender beneficiar certas crianças e suas famílias. Obviamente isto pode ser algo difícil de ouvir, mas o ritmo de desenvolvimento é provavelmente o único fator mais importante para determinar a futura solidez ou fragilidade de uma escola. Uma fundação frágil, realizada às pressas, acompanha a escola durante toda a sua existência, e pode-se constatar muitas vezes seus efeitos. Todos nós queremos escolas que floresçam e prosperem, e é bem possível fundar escolas assim com trabalho árduo e sem pressa.

Muitas comunidades foram criativas ao satisfazer as necessidades de suas próprias crianças antes da fundação de uma escola. Realizavam as festas anuais regularmente para as famílias, organizavam teatrinhos de contos de fadas, aulas de pintura, narração de histórias e outras atividades. Algumas desenvolveram atividades extracurriculares para crianças em idade escolar e que não podiam frequentar escolas Waldorf, como um programa complementar às aulas da escola.

Esses programas geralmente enfocavam histórias do currículo Waldorf, as artes e as celebrações das festas anuais. Os monitores de um programa como esse não precisam ser professores Waldorf experientes; muitas vezes são pais que estão frequentando o seminário de formação para professores Waldorf.

Examinemos, nos itens a seguir, cada passo para o início de uma escola Waldorf.

18. Como estabelecer grupos de estudos?

O grupo de estudos Waldorf é normalmente fundado com o intuito de reunir-se toda semana ou a cada duas semanas. Livros sobre Pedagogia Waldorf e Antroposofia são estudados, e muitas vezes são convidados palestrantes para aprofundar o tema escolhido pelo grupo. Podem-se encontrar livros para estudos na Editora Antroposófica (visite o site http://www.antroposofica.com.br). As comunidades seriamente interessadas em iniciar uma escola Waldorf devem estabelecer grupos de estudos.

O trabalho antroposófico numa comunidade é muito importante, pois a Pedagogia Waldorf nasce do solo da Antroposofia. É neste solo que as raízes da escola irão crescer, tirando dele seu sustento. As comunidades que não possuem grupos de estudos ativos em Antroposofia observam que, com o passar do tempo, suas escolas parecem carecer de sustento num nível mais profundo. Algumas se queixam de sentir-se ‘a descoberto’, expostas. O estudo da Antroposofia não pode ser compulsório, pois esta deve viver num âmbito de liberdade interior; contudo, essas escolas fariam melhor se a Antroposofia estivesse sendo cultivada na comunidade ao seu redor de uma forma saudável e livre.

A própria escola precisa ter uma relação saudável e fértil com a Antroposofia, caso espere crescer e prosperar como uma escola Waldorf. 

Ao se estabelecerem grupos de estudos, é aconselhável encontrar um mentor/apoiador experiente. Mesmo que só possa estar presente uma vez por ano, essa pessoa poderá acrescentar bastanteprofundidade ao estudo, fazendo sugestões sobre textos a estudar, respondendo a perguntas intrigantes sobre o conteúdo e assim por diante. A Federação das Escolas Waldorf no Brasil pode sugerir mentores. Caso tenha dúvidas, entre em contato com a FEWB

19. Como criar uma escola de educação infantil Waldorf?

Este é um passo oficial que exige constituição jurídica, autorização completa por meio da Secretaria de Educação local, aluguel de espaço e assim por diante. Igualmente importante, com relação a todos os requisitos legais, é que a escola deve ser iniciada por um professor de jardim-de-infância formado em Pedagogia Waldorf e orientado/assistido por alguém com uma grande experiência de um professor de jardim-de-infância Waldorf. Há uma falta crítica desses professores em todo o Brasil e em todo o mundo, será necessário procurar com antecedência.

Seria desejável que mais professores formados e com experiência estivessem interessados em ser treinados para tornar-se assistentes pedagógicos em sua região

Obter um apoio financeiro pode parecer uma grande tarefa, mas é importante entender, no início, que estabelecer qualquer escola particular é um empreendimento oneroso.    As famílias envolvidas na nova iniciativa devem fazer um levantamento financeiro de todas as necessidades para transformar o anseio por uma escola Waldorf numa realidade viável.

Seria bom trabalhar junto com a escola Waldorf filiada mais próxima e verificar se ali há professores experientes que possam ajudar nas etapas de desenvolvimento. É necessário que a iniciativa se afilie à Federação das Escolas Waldorf no Brasil, um passo que irá colocar a iniciativa num contato mais amplo com todo o movimento Waldorf.

20. Como fundar uma escola de ensino fundamental Waldorf?

Este é um grande passo, pois assim que a primeira série é iniciada a escola deve ser capaz de continuar acrescentando uma nova série a cada um dos próximos cinco ou nove anos. Isso significa que é necessário encontrar um novo professor de classe a cada ano, mais professores de outras matérias, mais espaço para classes e assim por diante. Assim, pode-se constatar por que é necessária uma fundação sólida. Sem ela, pode-se construir a escola durante alguns anos sem notar que a estrutura se encontra um tanto oscilante. Contudo, quanto maior se torna a estrutura, mais aparente se torna a oscilação, e as     rachaduras começam a desenvolver-se. Em anos recentes, algumas escolas tiveram de reestruturar-se desfazer-se das últimas classes do ensino fundamental, uma situação dolorosa para toda a comunidade Waldorf.

Há uma suposição geral, por parte das novas iniciativas, de que qualquer escola Waldorf é melhor do que nenhuma, mas nossa própria experiência mostra que isto não é necessariamente verdadeiro. Uma escola fraca, com poucas crianças, um déficit orçamentário muito grande, pressão demais sobre os professores e pais muito ativos, talvez não seja um ambiente saudável para as crianças. A escola sofre, e do mesmo modo sofrem as crianças.

Por estes motivos será fundamental que quando surja a vontade de criar o Ensino Fundamental será imprescindível receber orientações da FEWB

 

 

21. Questões a considerar

O objetivo das perguntas abaixo é ajudá-lo a enfocar as questões e as preocupações que devem ser consideradas antes de se fundar uma escola Waldorf.

I. Qual é o número de pessoas, em sua comunidade, que estão familiarizadas com a filosofia antroposófica e a pedagogia Waldorf?

a. Por quantos anos estudaram juntas?

b. Quantas estão familiarizadas com os requisitos do currículo?

II. Seu grupo principal definiu as metas e os objetivos?

III. O grupo redigiu formalmente uma ‘Declaração de missão e objetivos’ num plano de curto e longo prazo?

IV. Planos para o presente:

a. Quantas classes estão considerando para iniciar o jardim-de-infância e posteriormente a escola?

b. Qual será o tamanho mínimo de cada classe?

c. Que política de admissão irão adotar?

Planos para o futuro:

a. Qual é a idade das crianças para o jardim-de-infância, e quantas serão recebidas inicialmente?

b. Quais seriam as instalações físicas para uma expansão?

V. Foram investigadas as exigências locais/legais para:

a. Seguro de responsabilidade civil, de saúde, do prédio, etc.?

b. Leis para a implantação da escola, bem como para o espaço físico?

c. Exigências gerais para o ensino da primeira infância?

d. Certificação dos professores?

VI. A sociedade deve ter sido constituída como uma associação ou como uma empresa limitada.

a. Existe um Conselho Pedagógico e um Conselho de Pais?

b. As responsabilidades estão claramente definidas nos Estatutos? 

c. Há provisões para uma eventual saída de profissionais contratados pela escola?

VII.Foram pesquisadas as áreas vizinhas para determinar o grupo de famílias/alunos que é possível atrair e como realizar a divulgação? Que importância foi dada a publicidade e imagem da escola para atrair esses segmentos? (É difícil superar uma imagem pública negativa ou um limitador, uma vez criado.)

VIII. Qual (quais) escola(s) particular(es) competiria(m) por este grupo de alunos? Quais segmentos da população se espera atrair? Há alguém em seu grupo com conhecimento ou acesso a bons conselhos sobre assuntos de publicidade?

IX. Existe um valor estimado necessário para se iniciar uma nova escola, cuja informação é possível obter junto às escolasmais antigas, e que se deveria ter em mãos antes de fundar uma escola com uma esperança razoável de sucesso. Como garantir pelos menos os primeiros anos de operação (aluguel, salários, material, suprimentos, mudanças necessárias em instalações usadas, seguro, etc.)?

X. Organizar atividades para arrecadação de fundos é uma forma de suprir as necessidades iniciais e manter a qualidade do Ensino Waldorf; como e o quê realizar?

XI.Que oportunidades existem para atrair para sua comunidade um professor Waldorf treinado?

a. Qual é o salário oferecido?

b. Qual é a disponibilidade/custo de moradia em relação ao salário oferecido?

c. Quais são as oportunidades sociais?

d. Qual é o tipo de instalação da escola?

XII. Existe pelo menos um professor Waldorf formado e, se possível, experiente quanto ao compromisso de começar a escola?

XIII. Existem planos para enviar promissores candidatos de sua comunidade interessados em participar do treinamento de  professores, a fim de serem preparados?

XIV. Já se pensou numa equipe de apoio? É muito importante ter alguém no escritório da escola, uma secretária por pelo menos algumas horas por semana, para começar. Pode ser voluntária ou remunerada, o importante é alguém disponível para organizar documentações, atender telefones e receber as famílias.

22. O Nome Waldorf

Afiliação à Federação das Escolas Waldorf no Brasil (FEWB) e uso das marcas registradas ‘Waldorf’ ou ‘Rudolf Steiner’: Estas são marcas registradas no Brasil e reservadas às escolas que satisfazem aos padrões de afiliação estabelecidos pela FEWB. Qualquer grupo de iniciativa que deseje utilizar essas nomenclaturas tanto junto a seu nome, ou nos folhetos descritivos, na mídia eletrônica, na fachada da escola ou em qualquer lugar, deverá obrigatoriamente  entrar em contato com a FEWB antes mesmo de iniciar suas atividade para que assim que autorizado, aconteça o seu processo de filiação.

A Federação (FEWB) é uma associação de escolas que trabalham com base nas indicações pedagógicas de Rudolf Steiner. O Ensino Waldorf dedica-se a contribuir para a renovação espiritual, social e cultural. Deve ser entendido por qualquer escola ou instituição que busque afiliar-se à FEWB, que é baseada na Antroposofia, filosofia iniciada por Rudolf Steiner.

Somente as escolas que tenham sido aceitas como membros da FEWB podem fazer-se representar como escolas Waldorf ou usar as palavras ‘Waldorf’ ou ‘Rudolf Steiner’ em seus nomes ou subtítulos.

A FEWB concorda que os métodos Waldorf possam ser aplicados em ambientes de salas de aula bem diferentes; porém o Ensino Waldorf só se torna possível quando seus profissionais e administradores estão livres para trabalhar com base no claro reconhecimento da natureza espiritual do ser humano e no compromisso com o desenvolvimento deste.

Por isso todas as nossas escolas, as novas e as já estabelecidas, devem lutar pela excelência inerente à nossa filosofia e aos nossos métodos, para podermos enfrentar com confiança qualquer avaliação do nosso trabalho.

 

Para saber mais detalhes sobre este tema, entre em contato com fewb@fewb.org.br

23. Programa de afiliação de novas iniciativas

A afiliação à FEWB visa a fornecer, às novas iniciativas com intenção de iniciar uma escola Waldorf, uma oportunidade maior de estabelecer uma viva ligação com o movimento das escolas Waldorf. Este é um passo significativo no desenvolvimento da FEWB em direção à sua missão de atender e fortalecer o impulso Waldorf no Brasil.

Além disso, como organização responsável pelas marcas registradas ‘Waldorf’ e ‘Rudolf Steiner’, a FEWB exige que qualquer escola que deseje usar estes nomes, com a finalidade de promover-se em seus impressos, brochuras ou materiais de relações públicas, deve ser membro da FEWB no nível apropriado de afiliação; e que as escolas que desejem usar esses nomes como parte do nome da escola, ou como subtítulo, devem ser ‘membros contribuintes’.

Quando uma iniciativa nasce, mesmo antes de ter alunos, ela deve entrar em contato com a FEWB e no momento oportuno será autorizado o início do processo de filiação que durará 3 anos.

Após este período se efetuará o seu registro e passará a fazer uma contribuição mensal. 

A intenção de iniciar um jardim-de-infância Waldorf (com alunos e fundos suficientes, e também um professor Waldorf treinado ou um professor que deseje seguir o treinamento Waldorf) deve ser seguida de uma consulta ao representante de sua regional ou outra, indicada pela Federação. As escolas de educação infantil Waldorf estão divididas em regionais, com dois representantes em cada uma.

A orientação às novas escolas acontecerá por intermédio das escolas mais experientes, dos encontros das regionais e das assistentes, cursos de aprofundamento, congressos, livros, grupos de estudo, tutorias às escolas de grau, seminários, etc.

A FEWB também ajudará na localização de tutores que possam trabalhar com novas iniciativas. Esses tutores podem ser indivíduos ou escolas vizinhas.

 

24. Estou interessado em tornar-me um professor Waldorf. Qual é o próximo passo?

No Brasil há mais de 70 escolas e jardins-de-infância Waldorf filiados, e mais de 1.000 escolasem todo mundo. Junto com este tipo de crescimento há uma demanda constante por novos professores. A saúde de uma escola depende, em grande parte, de se encontrarem professores firmemente treinados na metodologia Waldorf.

As informações sobre formação para professores Waldorf encontram-se à disposição no site da FEWB.  Favor contatar os institutos diretamente para informações sobre programas específicos através do link http://www.fewb.org.br/Seminario.php 

É exigido pelo governo e pelas escolas que os professores tenham ao menos o certificado de graduação em Pedagogia ou licenciatura na matéria que irá lecionar.

 

 

25. Como posso encontrar emprego numa escola Waldorf?

Em primeiro lugar é preciso cumprir o curso de formação para professores Waldorf. Muitas escolas Waldorf colocam as vagas de empregos na Internet. Também é possível encontrar no site da FEWB a fim de obter maiores informações sobre os editais de contratação das escolas através do link http://www.fewb.org.br/Vagas.php. Ou ainda contatar diretamente as escolas de maior interesse para verificar vagas que não tenham sido anunciadas e também enviar currículos.

As escolas podem ser encontradas em nossa lista de escolas afiliadas, neste site.